Skip to main content

Divulgando um SaaS na Internet Brasileira

O FieldLink é uma ferramenta sensacional. Robusta, sofisticada e construída por pessoas apaixonadas pelo que fazem. Nossos clientes têm ganhos objetivos de desempenho rapidamente após a implantação e estão, em sua grande maioria, em expansão da equipe de vendas. Mesmo assim, o “boca a boca” e as vendas diretas não alcançam a todos, de forma que há algum tempo começamos a esboçar um plano de divulgação digital.

A primeira pergunta que levantamos foi “como as empresas fazem isso no Brasil?”. Afinal, tão acostumados com o mercado americano de produtos online (somos assinantes de pelo menos quatro SaaS B2B americanos diferentes) e com a literatura completamente centrada nas experiências nos EUA, não tínhamos ideia de coisas como “índices de conversão”, “e-mail marketing” e “assessoria de imprensa” funcionavam no Brasil.

No caminho, muita gente defendeu que nosso país ainda não estava preparado para essa modalidade de comercialização de produtos – “software de gestão você compra na Kalunga” – nem para esse novo patamar de gestão de equipes.

Fomos contra, claro. Empresas como @ContaAzul e Zero Paper desenham uma prévia de que o serviço online B2B tem enorme potencial. Essas ferramentas fornecem meios acessíveis para trazer organização ao caos que é ter uma empresa por aqui. Estamos na infância de algo formidável.

Mas como canalizar esse potencial? Como ser ouvido tão de longe? Ainda não sabemos, mas temos um plano, e isso é um começo.

O Plano

Há muito o que fazemos para ser ouvidos. A maior parte das ações corre off-line, mas vamos nos ater aqui tão somente ao digital. Não há solução milagrosa, logo, o raciocínio é montar uma cesta de esforços e tentar por vários lados. Que tal começar com o básico?

AdWords

Durante vários meses, realizamos testes com o AdWords, que gera anúncios nos resultados de buscas do Google e em sites de sua rede de associados. Para quem não sabe, o AdWords cobra por clique no anúncio e não por impressão, o que diminui o risco e torna a coisa toda mais interessante.

Em paralelo, decidimos construir uma página de vendas (landing page) modular que pode servir diferentes conteúdos para pessoas que chegam através de anúncios diferentes. Assim, podemos dar uma sensação de continuidade entre propaganda e a página interna.

Continuamente, testamos diferentes tipos de anúncios e páginas, nos chamados testes A/B, e observamos que as inserções foram bem recebidas pelo público nacional. Por isso, hoje, mantemos um orçamento diário de AdWords pequeno mas constante, o qual representa uma fatia considerável do tráfego gerado pelo site.

divulgando1

Distribuição percentual de onde chegam nossos visitantes. Destaque para a fatia em verde.

LinkedIn Ads

Você está vendendo algo para gerentes de vendas? Que tal servir anúncios direto para eles?

O LinkedIn permite isso, segmentando anúncios em um nível de granularidade bastante alto. Um clique pode custar até alguns reais, mas a chance do leitor ser relevante é, pelo menos em teoria, muito maior.

Fizemos diversos testes com anúncios no LinkedIn, durante períodos curtos, sem grandes sucessos. Aqui, abaixo do equador, seu uso ainda não é tão difundido quanto em outros mercados e a qualidade dos perfis é ruim (perfis incompletos). De forma ilustrativa, uma busca simples sobre pessoal de vendas com perfis de LinkedIn na América Latina retorna de três a quarto vezes menos resultados que na América do Norte. Não temos certeza se o motivo do insucesso é o meio ou a qualidade do anúncio, mas não desistiremos sem uma resposta firme.

Assessoria de Imprensa Digital

Se o objetivo é fazer barulho na internet, alcançar os formadores de opinião parece fazer sentido. A assessoria de imprensa colabora nesse processo, de diversas formas. Publicando press releases, monitorando repercussão e apresentando você a pessoas que gostariam de falar sobre seu produto. Há assessoria para bolsos de todos os tamanhos, com cobranças por mês ou por empreitada.

No FieldLink, desde um passado recente mantemos uma verba de assessoria para uso esporádico. Nosso primeiro press release gerou cerca de meia dúzia de clippings e um aumento temporário na criação de contas trial. Também importante, o barulho fez subir nossa relevância em ferramentas de busca como o Google, jogando nosso site para a primeira página.

Mídia Social

Alternativa óbvia e barata. Barata? Bem, isso é discutível. No nosso caso, percebemos ter muito sobre o que falar e postar, mas há pouco tempo e, se sua equipe é exata, não há ninguém para encarregar o trabalho adicional de Facebook e Twitter. A solução é contratar um “Gerente de Comunidade” dedicado, que possa interagir com intensidade e gerar o tão desejado buzz.  Nós estamos contratando essa pessoa em tempo parcial e começaremos a monitorar o efeito desse esforço em breve (se tiver um currículo na área e algum interesse, envie para contato@fieldlink.me).

Com base nesses pilares, firmamos um posto avançado na internet. Conforme dados interessantes e que sirvam de aprendizado forem surgindo, vamos discutindo aqui.

Pirúvico

Team member @ FieldLink